12/10/2011

Cirurgia Plástica: Devo fazer?

Ellen Colombo7/10/2011 10:03:58
Para especialista, casos de complicação acontecem quando os fatores de risco são ignorados

O Brasil é o segundo País no mundo onde mais se realizam cirurgias plásticas estéticas. Os Estados Unidos ficam em primeiro. As novidades da área da cirurgia plástica sempre despertam interesse cada vez maior de homens e mulheres de todas as idades em busca da beleza e autoestima.

De acordo com a médica cirurgiã plástica Giovana Romano, que atende na Clínica Athenas, em Canoinhas, o aumento do número de cirurgias no Brasil, se deve a facilidade de se informar sobre o assunto, seja por meio de revistas ou da internet. Outro fator que coloca o Brasil em segundo lugar no ranking é o momento pelo qual o país está passando, mais estável economicamente. “As cirurgias estão mais acessíveis a todas as pessoas, é possível programar e realizar o sonho da cirurgia plástica dentro do orçamento da família sem problemas”, destaca.

Segundo a médica, dependendo da intensidade da cirurgia não é necessário idade mínima. Algumas são realizadas na infância, como orelhas de abano, por exemplo. “Para colocação de próteses de silicone é recomendável ter pelo menos 18 anos. Alguns casos de mamas muito grandes também podem necessitar de cirurgia, desde que haja prejuízo à coluna, dores ou um fator de autoestima associado ao problema”, conta.

A médica explica que cada caso é peculiar e deve ser bem avaliado e explicado pelo profissional médico ao paciente. “Nos casos de pacientes na adolescência, recomendamos a presença da mãe, do pai ou de um maior da família que seja responsável”, conta. E pessoas idosas, podem fazer cirurgias plásticas? Segundo a médica, desde que as condições de saúde estejam em perfeito estado e os exames de sangue e coração estejam normais, não há impedimento. “Claro, os cuidados devem ser redobrados, pois o idoso tem sensibilidade aos medicamentos e cicatrização mais delicados, mas a melhora da autoestima acontece em todas as idades”, acrescenta.

Outra cirurgia bastante procurada são as plásticas para pacientes que fizeram cirurgia de redução de estômago, pois há uma sobra de pele muito grande no abdome, braços, pernas, mama e face. “A cirurgia plástica corrige a flacidez e devolve ao paciente o contorno corporal para melhor ajuste nas roupas e trajes de banho”, explica. Para a médica, o sucesso de uma cirurgia plástica está ligado ao bom resultado e à satisfação do paciente. “Depende diretamente da confiança do paciente no cirurgião, de todos os cuidados com segurança do paciente envolvidos no pré-operatório e no pós-operatório.”

MAIS PROCURADAS

Segundo Giovana, que é membro especialista da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e atua na área da cirurgia plástica estética e reparadora, as cirurgia estéticas mais realizadas atualmente são as de aumento mamário com prótese de silicone e lipoaspiração. Para a médica, o que muitas mulheres buscam no silicone é aumentar sua autoestima, ter mais confiança para vestir um decote ou um biquíni, por exemplo. “Os seios sempre foram um símbolo da feminilidade e da beleza da mulher em todos os períodos da humanidade. Não é uma questão de modismo e sim de valorização da mulher”, acredita.
A especialista comenta que outra cirurgia muito procurada é a lipoaspiração, ou lipoescultura, que pode apresentar riscos conforme o tempo cirúrgico e volume de gordura aspirado. De acordo com a médica, quanto maior o tempo e quantidade de gordura, maior o risco de uma embolia gordurosa, trombose venosa ou arritmia cardíaca. “Uma pessoa que já tenha diabetes, hipertensão ou episódio de trombose tem um risco maior para qualquer tipo de cirurgia. Os casos de complicação acontecem quando os fatores de risco são ignorados e, principalmente, quando a cirurgia é realizada em local inadequado, sem equipe de anestesia e com médico não habilitado”, explica.

SATISFEITO

Para quem pensa que cirurgia plástica é coisa de mulher, está muito enganado. Os homens estão visitando clínicas de estética cada vez mais. Nos últimos 5 anos, a quantidade de operações feitas pelo público masculino cresceu 30%. “Além de querer estar bem, o homem está usando sua aparência para ajudar nas suas conquistas profissionais”, afirma. *Fernando, 30 anos, é um exemplo disso. Ele fez uma lipoaspiração abdominal há três anos com Giovana. Ele conta que sempre foi magro, mas tinha uma camada de gordura no abdome que o incomodava. “Depois de um tempo fazendo atividade física a camada de gordura não sumiu, então procurei uma especialista, me informei e optei por fazer a cirurgia”, conta. Hoje ele está satisfeito com o resultado. “Foi o que eu esperava, mudei meu estilo de vida e minha dieta alimentar. Faço atividades físicas regularmente e me sinto motivado em praticar atividade física para manter a forma”, comenta.

De acordo com ele, a qualidade de vida, autoestima e satisfação foram realmente alcançadas. “Eliminei o que me incomodava, era uma coisa pessoal, eu não me sentia bem”, explica. Sobre os riscos, Fernando acredita que eles são superados quando o paciente tem confiança no profissional escolhido. A cirurgia aconteceu em Curitiba. “Fiz a operação em uma sexta-feira e na segunda já voltei ao trabalho, claro que o pós-operatório exige cuidados especiais, mas foi tudo muito tranquilo”, conta.

*Nome fictício, o entrevistado não quis revelar sua identidade

http://www.adjorisc.com.br/jornais/correiodonorte/editorias/saude/cirurgia-plastica-devo-fazer-1.963050 acesso em 11 de outubro

Publicado em Sem categoria

Deixar um comentário

Deixe uma resposta

  • Arquivos